Sign in to follow this  
Followers 3
JPreto

CACHE COP

37 posts in this topic

Boas!

 

Tenho recebido alguns "elogios" em relação aos comportamentos que tenho tido sobre caches que considero não cumprirem os guidelines da Groundspeak.

 

A parte curiosa é que, dado que os revisores se encontram neste momento em Portugal, não têm alguns conhecimentos sobre a cultura brasileira, o que por vezes pode levar a más interpretações de alguns conteúdos dos caches ou outras situações que apenas podem ser verificadas "in situ".

 

Eu considero que, no papel de ajudar os revisores, todos os geocachers deveriam fazer com que as regras do jogo fossem cumpridas, aliás, como se diz, tanto em Portugal como também aqui no Brasil: "Quem cala consente".

 

Mas até ontem não tinha percebido o que é que as minhas acções de tentar fazer cumprir as regras do jogo eram levadas tão a peito pela maioria dos geocachers. Ontem fez-se luz quando me comentaram uma expressão:

 

"Aos amigos tudo, aos inimigos a Lei"

 

Nunca tinha ouvido esta expressão, em nenhum dos países por que passei. Aliás, é tão estranho para mim perceber como é que aos amigos se pode permitir tudo, ainda que vá contra a Lei. Mas bom, seguramente tem a ver com um passado cultural do Brasil, algo que não critico pois não o conheço de forma suficiente.

 

No entanto procurei e pesquisei sobre este tema e encontrei este texto que me fez compreender muitas atitudes de alguns geocachers.

 

http://revistatrip.uol.com.br/revista/213/colunas/aos-amigos-tudo-aos-inimigos-a-lei.html

 

Bom, em Portugal, como na maioria dos países do mundo, fazer cumprir a Lei é uma obrigação de todos os cidadãos, parece que aqui no Brasil não é bem assim: Primeiro defende-se os amigos e depois cumpre-se a Lei.

 

Como digo muitas vezes: "Sempre a aprender, sempre a aprender!"

0

Share this post


Link to post

Após algumas trocas de opinião entre ambos, constato não ter existido grande evolução, se é que existiu alguma de todo. Isso leva-me a concluir que a sua iniciativa de expôr situações em fóruns, não é tanto um desejo de obter esclarecimentos e/ou opiniões diferentes das suas, no sentido de um natural enriquecimento da discussão (historicamente aquilo que os fóruns são), mas antes uma defesa acérrima daquilo que considera correto, em contraponto com tudo o resto, logo incorreto para si.

 

Em alguns casos em que foi protagonista, acabou por suceder isso mesmo. Alguma razão inicial existente, foi rapidamente desbaratada ou perdida, pelo modo intempestivo como defendeu a sua opinião.

 

A imagem que transmite para os outros, é de que, para si, as coisas são pretas ou brancas... não existindo qualquer espécie de "zona cinzenta" ou tolerância de avaliação.

Sendo que o modo como cada um decide viver a sua vida, é pessoal e instransmíssivel, considero importante fazer aqui uma pequena pausa, apenas para relembrar um detalhe.

 

Há muitas facetas na vida de um ser humano, hierarquicamente distribuídas pelo modo como nos afetam a nós próprios, aos nossos entes queridos, aos nossos amigos, à nossa comunidade e à restante humanidade.

Cabe a cada um de nós definir as prioridades na nossa vida, começando pela saúde, as relações interpessoais e familiares, a profissão, as atividades lúdicas, etc.

 

O geocaching, enquanto atividade lúdica é apenas um jogo, um passatempo, um meio de escape para as verdadeiras contrariedades da vida; aquelas que por vezes temos de suportar no nosso emprego, na nossa família, com as doenças pessoais, dos filhos ou de familiares próximos.

 

Para as outras facetas mais “sérias” da nossa vida em comunidade, devemos cumprir com leis pré-estabelecidas, que nos podem ser impostas pelo Estado. Para as atividades lúdicas, existem apenas regras, guias de conduta... e certamente Estado nenhum no mundo nos caucionará, pelo facto de não as respeitarmos.

 

Mesmo a Lei escrita é sempre passível de interpretação, o que está claramente demonstrado na possibilidade que qualquer condenado tem, de querer o seu caso julgado, posteriormente analisado por sucessivos tribunais até ao Supremo. Obviamente, esta análise sucessiva, acalenta a esperança de que uma decisão desfavorável, possa ser julgada em sentido oposto, precisamente pelo facto de que até a Lei mais omnipresente poder ser entendida de maneira diferente, por pessoas diferentes.

 

O que diremos então de simples guias de conduta, que se apliquem a atividades de lazer?

 

Passando agora para outra abordagem à sua mensagem, parece-me estranho que a sua postura de chegar a uma nova realidade, a um novo país, querendo que ele se adapte à sua maneira de ser, em vez de ser a própria pessoa a adaptar-se a essa nova realidade, é um erro crasso.

É uma postura arrogante, potenciadora de constrangimentos e da criação de “anticorpos”.

Na minha opinião, só sendo muito introvertido ou narcisista, não se percebe isto... e por outro lado, provavelmente nunca pensou no quanto essa sua postura, acaba por refletir-se em outras pessoas com percurso de algum modo idêntico ao seu?!

 

Como é óbvio, adaptar-se à nova realidade, não significa deixar de respeitar a regras, mas ajuda muito se não quisermos impôr a nossa interpretação delas... o ideal mesmo, é estarmos recetivos a várias interpretações, dentro da tal “zona cinzenta”.

 

Não posso deixar de sentir-me admirado pelo facto de não entender que sempre houve, há e haverá uma diferença natural no modo como as pessoas se relacionam com quem já conhecem há algum tempo, ou a quem considerem amigas, por oposição com meros desconhecidos ou inimigos.

Naturalmente temos sempre uma maior tolerância em tudo o que se passa com os nossos amigos, tal como há sempre alguma dose de desconfiança e receio em relação aos que não fazem parte desse círculo. Damos ou emprestamos dinheiro aos nossos amigos, por confiarmos que no-lo devolverão quando puderem... se eles pedirem a um Banco, terão de pagar juros, pois para além do necessário lucro, a instituição não os conhece pessoalmente.

Naturalmente que achamos sempre que o problema dos nossos filhos, quando eles se portam mal ou trazem más notas da escola, é das "más-companhias"... nunca deles próprios, ou sequer dos pais.

Diria que essa estratégia mental, faz parte do nosso mecanismo natural de auto-defesa e sobrevivência, desde os primórdios do homem em que o importante era proteger o grupo. Daí surgiram conceitos como o elo mais fraco, por exemplo. Um grupo é tão forte, quanto seja forte o seu elo mais frágil. É um mero reflexo da humanidade.

 

Curioso é alguém pretender afirmar que não o faz, e sentir-se ameaçado por tal.

 

Imagine agora que alguém loga Found numa cache... presumivelmente porque esteja de acordo com a regras, pois se uma cache não está de acordo com as regras, o mais ético seria dizê-lo logo e recusar o Found, logando antes um DNF, por exemplo.

Imagine que de seguida esse geocacher atribua um Favorito a essa cache... certamente apenas caches de acordo com as regras merecem ser favoritadas.

Imagine que de seguida ele peça que a cache seja desativada, por considerar que não cumpre alguma regra específica.

 

Ou seja; para ele mesmo, estava tudo bem, ao ponto de logar Found e atribuir Favorito... mas para os demais, já não reconhecia essa possibilidade.

Uma interpretação diferente das regras para si próprio e para os outros.

 

Para ele tudo, para os outros... a lei.

 

Mas no final, volto a lembrar...

Isto é apenas um jogo para o pessoal se divertir, divirta-se connosco!

Edited by ruidealmeida
0

Share this post


Link to post

Imagine agora que alguém loga Found numa cache... presumivelmente porque esteja de acordo com a regras, pois se uma cache não está de acordo com as regras, o mais ético seria dizê-lo logo e recusar o Found, logando antes um DNF, por exemplo.

Imagine que de seguida esse geocacher atribua um Favorito a essa cache... certamente apenas caches de acordo com as regras merecem ser favoritadas.

Imagine que de seguida ele peça que a cache seja desativada, por considerar que não cumpre alguma regra específica.

This post has been edited by ruidealmeida: Yesterday, 12:44 PM

 

Bom... resposta bastante pessoal, algo que se deve evitar mais ainda numa pessoa que conhece as regras dos forums, aliás é moderador deste forum mas sem dúvida tem problemas com a dupla personalidade entre "ruidealmeida" e "kelux" já que primeiro responde como "ruidealmeida" depois apaga esse post, responde como "kelux" e depois edita como "ruidelameida" de novo... :blink:

 

Todas as acusações ou provocações pessoais vou deixar de parte, responderei apenas a esta que cito, já que falar de coisas que se desconhece nem sempre é positivo...

 

1) Em Janeiro de 2014, no evento de Ano novo (GC4W57G) foi mostrado o cache e explicado o que iam fazer com esse cache, colocando-o numa cafetaria.

 

2) Eu disse que achava que não iria ser aprovado porque, caso fosse colocado dentro de uma loja, seria ilegal.

 

3) Foi-me respondido por uma das pessoas envolvidas no projecto que já tinha visto um cache deste tipo na Holanda e que tinha adorado, já que se tinha de dizer uma palavra chave a um dos funcionários para que lhe dessem o cache.

 

4) Voltei a dizer que achava que ele iria ser comercial e por tal deveriam arranjar outra forma de colocar o cache.

 

Quando passados vários meses vi que o cache tinha sido publicado e uma vez que fica num local onde passo muitas vezes tive curiosidade e fui visitar o cache. Realmente o cache é muito bom, uma amno box (apenas vi outra no brasil mas era de plástico, e a do APE, claro) por isso registei o meu found e considerei que merecia um favorito e, como tinha sido publicada, significa que tinha sido aprovada por um revisor.

 

Naturalmente pensei que o Owner do cache tivesse explicado o cache ao Revisor (até porque eu o tinha alertado para a situação meses antes) e que o revisor, antes de publicar o cache tivesse pedido um regime de excepção dado a importância do cache no parque tinha sido aceite. Realmente acho que seria muito bom ter um TB hotel no Ibirapuera!

 

Após ter visitado o cache e ter questionado o revisor se estava tudo ok com esse cache, o revisor, que não tinha sido convenientemente informado pelo owner das especificidades do cache resolveu desabilitar, falar com a Groundspeak e a resposta foi que esse cache deveria ser arquivado.

 

Volto a afirmar o que disse no primeiro post: "Eu considero que, no papel de ajudar os revisores, todos os geocachers deveriam fazer com que as regras do jogo fossem cumpridas", isto claro, independentemente de serem amigos ou não.

 

Este caso é um pouco pior, na minha opinião, já que o owner podia até desconhecer as regras, mas foi alertado antes por mim, e em vez de tentar arranjar uma forma de as cumprir (porque realmente a ideia de colocar um TB Hotel no Ibirapuera é muito boa) tentou fazer algo de forma a que os revisores não se apercebessem, omitindo a real situação do cache.

 

"kelux" ou "ruidealmeida", já fiz diversas reclamações (vamos chamar-lhes assim) de caches que considerei não cumprirem as normas de publicação da Groundspeak aos revisores e nem todas foram "aceites" aliás neste momento deve estar em cerca de 50%.

 

Qual o problema de registar um found num cache que foi aprovado e publicado, mais ainda, colocar um favorito porque acho que realmente o cache é bom... segundo o que comentas deveria abster-me de registar founds em caches que considero comerciais, apesar de, segundo os revisores, não existir qualquer problema com esses caches? É isso? :unsure:

 

PS: A "postura" dos colonizadores portugueses influenciou a cultura brasileira, um pouco de história: "os primeiros povoadores do Brasil (Portugueses) eram na maioria condenados pela justiça e por isso eram obrigados a trabalhar nas galés, à prisão perpétua ou à morte e tinham suas penas substituídas pelo degredo."

0

Share this post


Link to post
... mas sem dúvida tem problemas com a dupla personalidade

 

Como pode ser facilmente comprovado pela quantidade de posts de ambos os nicknames, a esmagadora maioria da vezes, estou logado no fórum com a conta de moderador, a única coisa que sucedeu foi que querendo naturalmente comentar o seu post com a minha conta de jogador, só me apercebi que não estava logado com o nickname correto, após já ter colocado o post. Ato contínuo, apaguei-o e voltei a publicá-lo já com a conta correta.

Mais tarde, identifiquei algumas situações de conjugações de verbos, com utilização errada de singular e plural, corrigindo-as.

Simples como isto, portanto nada que mereça grandes teorias de conspiração.

0

Share this post


Link to post

Estou nesse jogo desde 2006. Quando descobri o Geocaching, fiquei muito entusiasmado com a brincadeira e logo me escrevi no site.

Só que naquela época, tinham muito poucos caches. Em agosto de 2006 escondi meu primeiro cache: o Pedra Grande (GCXNMQ) que está ativo desde então e eu me orgulho muito disso.

 

Sempre procurei seguir as regras do jogo, pois, acredito que a graça é jogar dentro das regras.

 

Entretanto, uma coisa me incomodou muito nesse post. A afirmação que aqui no Brasil não seria uma obrigação se cumprir a lei, que valeria apenas para os outros e não para os amigos.

 

Acho que essa visão é extremamente errada. Primeiro, que estamos falando apenas de um jogo, que não tem nada a ver com cumprir Leis.

 

A Lei tem que ser cumprida por todos, sejam eles brasileiros ou estrangeiros, como em todos os países.

 

Agora, sobre comportamento em um hobby, acho que não precisamos ser extremamente rigorosos.

 

Um exemplo: Recentemente o JPreto encontrou um cache escondido por mim em Mongaguá e escreveu em seu log que o cache deveria ter uma identificação por fora, para não ser confundido com lixo. Tudo bem, isso está nos guidelines.

 

Mas acontece que já encontrei diversos caches por ai sem nenhuma identificação. Aqui no Brasil não tem um vendedor autorizado da Groundspeak, não sendo tão fácil comprar caches "oficiais".

 

Acho que esse tipo de coisa não muda nada o jogo, que na minha opinião consiste em aproveitar o tempo livre para conhecer lugares diferentes e conhecer pessoas. Isso é o que realmente importa.

O mais legal do cache de Mongaguá é a vista que se tem lá do lugar onde o cache está. E poder visitar uma cidade do litoral que eu acho muito charmosa, motivo que me levou a colocar o cache lá. No momento eu só tinha em mãos um pote de Toddy, que foi o que usei. Será que eu não deveria ter colocado o cache??? O JPreto teria conhecido o lugar se o cache não estivesse lá???

 

Agora, se o cache está em uma lanchonete, que mal tem??? Se eu não sou obrigado a comprar nada para logar o cache, qual o problema??

Ou será que o dono da lanchonete vai aumentar seu faturamento em 30% por que milhares de pessoas vão começar a frequentar a lanchonete??? Acho que não.

 

Concordo que todos temos que ajudar os revisores ao identificarmos algum problema com algum cache, principalmente quando pode colocar em risco alguém que vá em busca do cache. Fora isso, segue o jogo...

 

Então, na minha humilde opinião, nós brasileiros devemos unir nossas forças para fazer o número de jogadores aumentar e, consequentemente, o número de caches. A ajuda de estrangeiros, que já conhecem o jogo e sempre bem vinda.

 

Agora, atitudes muito rigorosas, por simples "pureza" da regra do jogo, na minha opinião, pode desestimular os novatos e isso é muito ruim.

 

Outra coisa muito ruim na minha opinião é falar mal do País onde se vive. Meu pai é espanhol e está no Brasil há mais de 55 anos. Nunca ouvi ele falar uma palavra ruim contra o Brasil. Ele adora a Espanha, vai todo o ano visitar seus parentes, mas ele reconhece que o Brasil lhe deu condições para fazer sua vida.

 

Nós brasileiros sabemos muito bem como conduzir as coisas aqui em nosso País. Podemos não estar fazendo um bom trabalho, muita coisa tem que melhorar com certeza. Mas não precisamos que ninguém de fora venha nos ensinar a seguir regras.

0

Share this post


Link to post

Ainda bem que começaste a participar no Forum, como primeiro post não está anda mal!!!! Bem vindo!!!!

 

Primeiro, que estamos falando apenas de um jogo, que não tem nada a ver com cumprir Leis.

Por acaso até tens... Existe por exemplo a Lei da Propriedade Privada, que é crime e pode levar à prisão por até 6 meses:

 

Parágrafo 1 Artigo 150 do Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940

Art. 150 - Entrar ou permanecer, clandestina ou astuciosamente, ou contra a vontade expressa ou tácita de quem de direito, em casa alheia ou em suas dependências.

Quantos caches não cumprem essa lei? Esta por exemplo, é uma lei que pouco vejo cumprir aqui no Brasil. Por exemplo nos EUA é bem diferente, aliás, em determinados estados há Leis específicas para o geocaching... Só um exemplo, há muitos mais de Leis que tens que cumprir ao praticar geocaching.

 

Um exemplo: Recentemente o JPreto encontrou um cache escondido por mim em Mongaguá e escreveu em seu log que o cache deveria ter uma identificação por fora, para não ser confundido com lixo. Tudo bem, isso está nos guidelines. Mas acontece que já encontrei diversos caches por ai sem nenhuma identificação. Aqui no Brasil não tem um vendedor autorizado da Groundspeak, não sendo tão fácil comprar caches "oficiais".

Neste caso nem foi a questão de estar nos guidelines, foi apenas porque realmente quando peguei na lata da Toddy estive quase a levar-la para o lixo quando percebi que tinha peso, pensei que era água mas afinal era o cache... Por isso fiz uma sugestão, nada mais do que isso. Eu, por exemplo, tento sempre colocar o símbolo da Groundspeak por fora dos caches (excepto nos NANO que é bem difícil) por vezes até faço com uma caneta de tinta permanente. Seguramente existirão muitas formas de alterar um pote Toddy para que pareça algo diferente.

 

No momento eu só tinha em mãos um pote de Toddy, que foi o que usei. Será que eu não deveria ter colocado o cache??? O JPreto teria conhecido o lugar se o cache não estivesse lá???

Colocar o cache ou não é uma decisão tua. Deslocar-me ou não para ir ver o cache é uma decisão minha. Dar uma sugestão de como melhorar um cache é uma decisão minha. Podes aceitá-la como algo construtivo ou não, isso é uma decisão tua. B)

 

Agora, se o cache está em uma lanchonete, que mal tem??? Se eu não sou obrigado a comprar nada para logar o cache, qual o problema??

Ou será que o dono da lanchonete vai aumentar seu faturamento em 30% por que milhares de pessoas vão começar a frequentar a lanchonete??? Acho que não.

Pois é, só que a Groundspeak diz expecificamente qeu os caches não poderão ser colocados dentro de estabelecimentos comerciais ou que necessite interacção com empregados do estabelecimento. Está bem escrito nas regras deste jogo.

 

Concordo que todos temos que ajudar os revisores ao identificarmos algum problema com algum cache, principalmente quando pode colocar em risco alguém que vá em busca do cache. Fora isso, segue o jogo...

Pois, o problema é que mesmo nos casos em que eu achei que seria perigoso procurar o cache, fui bastante criticado por ter colocado a minha opinião... aliás o Owner apagou o meu log que posteriormente foi reposto pela Groundspeak. Como se diria em Portugal: "Não habia nexexidade... zzz......zzzz....zzzzzz...."

 

Vivi em Portugal, em Espanha vários anos, em França meses, nos EUA e na Suécia pouco tempo e agora no Brasil há 1 ano, de todos estes países consigo dizer coisas boas e más... isso eu chamo de ter opinião! E já agora, o maior cego é aquele que não quer ver...

 

Mas não precisamos que ninguém de fora venha nos ensinar a seguir regras.

Tens toda a razão, basta só ler, estão em Português, em Inglês e em muitos outros idiomas, podes começar por aqui:

GERAL - https://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx

ESCONDER UM CACHE - http://support.Groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=509

CACHE COMERCIAL - http://support.Groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=475

0

Share this post


Link to post

Não sou muito de postar opiniões no jogo, principalmente por achar entediante e cansativo estas disputas de opiniões.

Prático geocaching há alguns anos e tenho motivado muitos novos jogadores no Brasil, no entanto, estes tem se desmotivado quando percebem que alguns usam desta atividade um motivo de disputas.

Mesmos os de minha casa, alguns desanimaram e pensam em desistir.

Será este o intuído das regras?

Creio que não.

As regras deveriam ser um norte de como seguir e fazer acontecer. Um ponto de partida.

Outro Ponto importante que não vejo nas regras é o respeito à regionalização. Há costumes diferentes em cada país, e o que é possível em um, não o é em outro.

Como o Toninho ja expressou muito bem, não temos vendedores oficiais, não temos lojas próximas, até os revisores não são brasileiros, pelo que sei.

Assim, temos de nos adaptar a regras e pareceres de pessoas que possivelmente nunca estarão nos locais dos caches. No entanto, por gostarmos do hobbie, seguimos as regras. Mas algumas coisas temos de nos adaptar, como o caso já citado do container. Aliás, até hoje, dos 117 container que encontrei, somente 1 tinha identificação de ter sido construído para esconder um cache.

Chateou-me muito, e a toda minha família (somos 7 jogadores) Ao vermos o cache Ibirapuera Tb Hotel ter sido desativado por uma denúncia vazia e sem sentido . Para ver a container, não tive de pagar nada, não tive de comprar nada, não tive de fazer nenhum tipo de comércio no local. Ou seja, ao meu ver, não fugiu a regra.

 

Agora, o que me chateia por demais e uma pessoa que não é brasileira, mas vive no Brasil, e aqui constituir morada ser uma pessoa que não respeita em nada este país.

Fato este que não colabora para que outros brasileiros participem do jogo, fato confirmado por escrever apenas em inglês. Língua está que não é a oficial do país onde se mora e onde prática o hobbie.

Um estrangeiro postar na língua de seu país, pois está de passagem pelo Brasil, excelente, ele não tem obrigação de aprender nosso idioma. Mas alguém que domina a língua nativa, postar em inglês, é pregar que a língua pátria é inadequada para comunicação, que o país local é defesa do intelectualmente, que os melhores do mundo são os ingleses, eles falaram tão bem que seu língua ar deve ser copiado pelas demais nacionalidades. E por aí vai o pensamento.

 

O apóstolo São Paulo, em uma de suas cartas escreve que ele se fez de loucos para com os loucos, e sábio para com os sábios, tudo isto para poder levar o evangelho.

 

Se quero que outros brasileiros participem do jogo, tenho de mostarda a eles, e em português, que o jogo é interessante.

 

As regras do jogo devem ser cumpridas, desde que seja possível cumprir a regra. Não é uma lei, acima das leis e costumes dos países ao redor do mundo.

Cada povo deve ser respeitado,

Com seus costumes e defeitos.

Afinal, tudo dos os homens cometem erros, e ninguém está acima de outros.

0

Share this post


Link to post

Bem vindo "Mendesmno"! Hoje é o dia dos primeiros posts...

 

Chateou-me muito, e a toda minha família (somos 7 jogadores) Ao vermos o cache Ibirapuera Tb Hotel ter sido desativado por uma denúncia vazia e sem sentido . Para ver a container, não tive de pagar nada, não tive de comprar nada, não tive de fazer nenhum tipo de comércio no local. Ou seja, ao meu ver, não fugiu a regra.

Como disse anteriormente, talvez seja bom lerem as regras do jogo... apenas uma opinião...

 

Um estrangeiro postar na língua de seu país, pois está de passagem pelo Brasil, excelente, ele não tem obrigação de aprender nosso idioma. Mas alguém que domina a língua nativa, postar em inglês, é pregar que a língua pátria é inadequada para comunicação, que o país local é defesa do intelectualmente, que os melhores do mundo são os ingleses, eles falaram tão bem que seu língua ar deve ser copiado pelas demais nacionalidades. E por aí vai o pensamento.

Quando fui ao primeiro evento aqui no Brasil criticaram-me pelo mesmo motivo, por escrever os meus logs em Ingles... Sabes que a maioria dos geocachers que procuram caches no Brasil são estrangeiros? Como coloquei noutro tópico deste forum: "a maioria dos GeoCachers que procuram caches no Brasil são turistas (531) contra Brasileiros (284)".

 

Quando estes dados estiverem mais equilibrados pensarei em escrever os meus registos em Português. Por exemplo, os caches que descubri em Portugal, escrevi em Português mas lá os dados são outros! E já agora, porque não te queixas de que os "listings" dos caches não são feitos em dois idiomas já que a maioria dos geocachers do Brasil não sabem Português?

 

Eu estou a fazer algo para a maioria e se reparares os meus logbooks que têm as regras simples estão em Português, precisamente para se alguém encontrar possa ler.

0

Share this post


Link to post

JPreto,

 

O fato de esse ser meu primeiro post no Forum não quer dizer que eu desconheça o que se escreve por aqui. Desde 2006 quando me cadastrei nesse jogo já li tudo que há para ser lido no forum e no site da Groundspeak. Até livro sobre geocaching já comprei. Aliás, dispenso sua observação sobre a qualidade do meu post.

 

A forma como você escreve me parece um pouco arrogante, e isso me deixa um pouco chateado. Não o conheço bem e acredito que essa é apenas uma impressão pela forma que você escreve.

 

Mas permita-me fazer algumas observações:

 

Você cita a lei de Propriedade privada, não entendi por que, mas tenho uma pergunta: você colocou um cache magnético grudado em uma banca de jornal, que embora esteja em uma via pública é uma propriedade privada. Você pediu autorização para o proprietário? Você pode dizer que sim e eu vou ter que acreditar...

 

Conhecer vários países nos dá a oportunidade de conhecer várias culturas e aprender com elas. Talvez você não tenha aproveitado bem as oportunidades que você teve. No exemplo que dei do meu pai eu disse que ele nunca criticou o Brasil. Isso não quer dizer que ele não tenha uma opinião sobre o Brasil ele apenas não critica a nação que lhe deu tantas oportunidades. Isso se chama Ética.

 

Como já citei acima, já li tudo que há para ler, incluindo os links que você citou. Aliás, os li bem antes de você entrar no jogo.

 

Vou aproveitar para dar minha opinião sobre escrever logs em inglês ou português. Depende muito. Como estou no Brasil na maioria das vezes eu escrevo meus logs em português. Em alguns caches, com muitas visitas de estrangeiros, eu escrevo em português e em inglês.

Quando publico um cache coloco a descrição em português e em inglês.

Já ví diversos logs em meus caches de estrangeiros que escrevem em seu idioma, não estando nem um pouco preocupados se outros vão poder ler ou não. Então eu acho que escrever os logs em inglês não vai fazer diferença nenhuma para quem vem de fora. Se a pessoa quiser procurar o cache isso não vai fazer diferença. Se eu estiver em um outro país que eu não conheça o idioma e quiser procurar um cache, vou ter que lançar mão de um tradutor, então, se alguém vem de fora e não sabe ler português, pode fazer a mesma coisa.

Achar que escrever os logs em inglês vai ajudar geocachers estrangeiros é muita pretensão, ainda mais se cometemos erros.

 

E já agora, porque não te queixas de que os "listings" dos caches não são feitos em dois idiomas já que a maioria dos geocachers do Brasil não sabem Português?

 

É isso mesmo que você quis dizer?? A maioria dos geocachers do Brasil não sabem "Português"?????

Ou você quis dizer "Inglês"? Seja como for, é uma forma muito grosseira de se expressar.

 

E realmente, concordo com você "O pior cego é aquele que não quer ver". Talvez você não esteja percebendo que sua postura não ajuda em nada a melhorar o jogo...

Edited by Toninho
0

Share this post


Link to post

Muito bem, já li as regras, antes mesmo de você orientar - me, aliás, as li quando iniciei um projeto de especialidades para os Desbravadores e na época as regras não tinha uma versão em português.

 

Você cita que escreve em inglês por que a maioria dos jogadores no Brasil são nativos desta língua, ou seja, americanos ou ingleses.

Então, vamos ver alguns números:

Existe hoje 388 jogadores brasileiros, destes, apenas 46 ainda não esconderam caches, são apenas jogadores.

Temos 342 owners brasileiros contra 125 de outros países que esconderam caches no Brasil, quase o triplo de brasileiros .

A maioria dos estrangeiros vem ao Brasil com intuito de ir a Intervales, onde está escondido Mission 4, ou seja, vem por causa de um cache colocado pelo Estúdio Universal, e não por causa de postagens na língua deles, e a maioria dos caches localizados por eles estão entre o aeroporto e intervales, o restante possivelmente localizados nas imediações dos locais de hospedagem .

 

Destes 125 estrangeiros , 21 já estão inativos há mais de 6 meses. Tô citando inativos nos países deles, pois não temos como saber há quanto tempo não vem ao Brasil.

Já li relatos de alguns que vieram, deixaram um cache e nunca mais vieram fazer manutenção.

 

Sinceramente, por estes poucos que és incentivado a escrever em uma língua diferente da sua? Me poupe, por favor.

 

Como bem sabemos, este hobby tem origem externa ao Brasil,nada mais natural que a quantidade de jogadores sejam do país onde esta atividade começou. Portanto, querer comparar a quantidade de jogadores entre os países é por demais de lúdico.

 

Aliás, para ser sincero, aparentemente o motivo da escolha do idioma aparenta ser outro, mais de ordem pessoal que por causa do jogo.

Aparenta um tentativa de agradar os jogadores da língua inglesa, pois ao escrever no idioma deles, se faz passar por um deles. Eu mesmo ao ver suas postagens achava que você era americano ou inglês. Ao saber de sua origem portuguesa, foi um susto e uma incógnita. Pois não valoriza sua língua pátria, mas sim a de outrem. e quem não valoriza sua terra, sua pátria, sua língua, ou está revoltado com seu país, ou se sente um desafortunado, por ter nascido lá, ou é um anarquista, que odeia sua pátria que julga a de outrem melhor.

Melhor não entender.

 

Só sei que, se quero que o geocaching cresça no Brasil, tenho de fazer pelos Brasileiros, dar lhes informações para que eles entendam, e não me preocupar se haverá um jogador de outro país que eventualmente poderá procurar um cache que escondi.

Se houver interesse dele, ele procurará um site que traduza e entenderá os motivos do cache estar escondido naquele lugar.

Resumindo, não ficarei puxando saco de gringo antecipadamente.

Valorizo meu país, e os brasileiros que vivem nele, e também os estrangeiros que para cá vierem, seja a passeio, seja para buscar uma oportunidade de vida. Todos são bem vindos. Mas não deixarei de valorizar o que é da pátria.

Nisto quero usar um exemplo estrangeiro, os japoneses. Eles vivem há décadas no Brasil, respeitam as tradições e costumes brasileiros. No entanto, não deixam de lado suas tradições e língua. Ensinam a seus filhos a língua japonesa e lêem periódicos de sua pátria mãe. Pois apesar de não estarem no Japão, são seus filhos, e tomam conhecimento do que lá ocorre.

Isto sim é exemplo de patriotismo.

 

Voltando ao geocaching.

Qualquer pessoa, por mais ignorante que seja, sabe que uma casa não se constrói a partir do topo, do telhado. Mas se inicia do alicerce, dos fundamentos.

 

Assim é o geocaching no Brasil, estamos na parte da fundação, onde poucos ou quase nada é visto, assim como ninguém vê a estrutura que está abaixo da terra em uma edificação.

 

No entanto, para um começo, estamos bem. Afinal, só no estado de São Paulo são mais de 1000 caches publicadas. E sua maioria por brasileiros.

 

Até recentemente havia poucas no Amazonas, mas o número tem crescido, e o Rui pode testemunhar o que ocorrera em pouco tempo, com os Desbravadores divulgando está atividade.

 

Assim também ocorrerá em breve, se tornará algo muito difundido, e para estes que estou trabalhando e montando novas caches. Para incentiva-los.

 

As regras, como disse anteriormente, são diretrizes que nos dão um parâmetro de como agir. Mas não são leis que devem ser seguidas a risca.

 

Tanto é que já achei caches seus que descumpre regras, caches escondidos em locais de acesso restrito. E acredito que você não tenha procurado os administradores para pedir autorização para ali deixar um cache. Aliás, três. Assim, você é tão desobediente quanto aos que você acusa.

 

Há um texto bíblico de uma das falas de Jesus que ilustra bem, "arranque a trave que está em teu olho antes de querer arrancar o cisco do olho de teu irmão ".

0

Share this post


Link to post

Nosso primeiro e último post neste tópico, pois vamos seguir nossa sugestão dada no final.

 

Ora, ora, então se trata do Senhor "Cumpridor Ferrenho das Leis e Regras".

 

Ou seria Senhor "Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço"?

 

Vejamos alguns exemplos:

 

Faça o que eu digo

 

Por acaso até tens... (que cumprir Leis) Existe por exemplo a Lei da Propriedade Privada, que é crime e pode levar à prisão por até 6 meses:

Parágrafo 1 Artigo 150 do Decreto Lei nº 2.848 de 07 de Dezembro de 1940

Art. 150 - Entrar ou permanecer, clandestina ou astuciosamente, ou contra a vontade expressa ou tácita de quem de direito, em casa alheia ou em suas dependências.

 

Não faça o que eu faço:

 

Log de JPreto no cache GC493P9 em 12/28/2013:

After getting inside someone else´s property without permition I found the cache... beware of the cows!

 

Nota: o cache é nosso e sabemos que não era necessário entrar na propriedade alheia para pegar o cache. Mas, mesmo que o fosse, um ferrenho cumpridor da Lei não deveria tê-lo feito...

 

Faça o que eu digo:

 

Volto a afirmar o que disse no primeiro post: "Eu considero que, no papel de ajudar os revisores, todos os geocachers deveriam fazer com que as regras do jogo fossem cumpridas", isto claro, independentemente de serem amigos ou não.

Como disse anteriormente, talvez seja bom lerem as regras do jogo... apenas uma opinião...

 

Não faça o que eu faço:

 

Cache GC52AF7 - Liceu Pasteur #81 de JPreto

 

Nota: cache colocado próximo ao Liceu Pasteur (Ensino Médio, Fundamental e Infantil).

No link indicado por JPreto (https://www.geocachi...guidelines.aspx) lê-se:

Choose an Appropriate Location - Is it a place where your cache could be mistaken for a bomb, like a bridge or airport? Is it near a school where cache hunting behavior is going to draw the attention of parents or school staff who will call the police first and ask questions later?

 

Em suma: não merece ser levado a sério.

 

Sugestão: ignorem-no.

0

Share this post


Link to post

Funny that I've just arrived from Chicago, and after finding almost 20 caches, none of them had any identification outside that linked them with geocaching, and inside only five or six had... Maybe I've gone to the wrong country. But wait, the headquarters of this game isn't in USA, and neither the americans strictly follow all the rules?!?!?!?!?!

0

Share this post


Link to post

Funny that I've just arrived from Chicago, and after finding almost 20 caches, none of them had any identification outside that linked them with geocaching, and inside only five or six had... Maybe I've gone to the wrong country. But wait, the headquarters of this game isn't in USA, and neither the americans strictly follow all the rules?!?!?!?!?!

 

Pensava que neste forum se escrevia em Portugues, talvez passe também a escrever em Ingles aqui no forum! :D

 

Quase 20 caches, todos na mesma região, é para ti um exemplo?

 

E já agora, se os outros fazem mal tu também vais fazer, é isso? :blink:

 

Era bom que as pessoas olhassem para os bons exemplos do geocaching em vez de tentarem copiar os maus, justificando as suas acções com os possíveis erros dos outros... :(

0

Share this post


Link to post

Apenas uma questão a acrescentar sobre caches colocados em lugar comercial:

 

Tem um cache colocado no meio do Magic Kingdom na Disney.

 

http://www.geocaching.com/geocache/GC10FB_magic-kingdom?guid=d3b80167-5fd3-4e9d-8143-91f92cc36f56

 

Esse cache tem mais de 7.000 finds, estando ativo a mais de 12 anos.

 

Para encontrar o cache você tem que pagar o ingresso e entrar na Disney.

 

Pergunto: Existe lugar mais comercial que esse?

 

Quem sabe nosso Cache Cop poderia denunciar esse cache também...

0

Share this post


Link to post

Apenas uma questão a acrescentar sobre caches colocados em lugar comercial:

 

Tem um cache colocado no meio do Magic Kingdom na Disney.

 

http://www.geocaching.com/geocache/GC10FB_magic-kingdom?guid=d3b80167-5fd3-4e9d-8143-91f92cc36f56

 

Esse cache tem mais de 7.000 finds, estando ativo a mais de 12 anos.

 

Para encontrar o cache você tem que pagar o ingresso e entrar na Disney.

 

Pergunto: Existe lugar mais comercial que esse?

 

Quem sabe nosso Cache Cop poderia denunciar esse cache também...

 

Sabe o que significa a "Grandfathered cache"? Veja as regras por favor...

 

https://support.Groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=63

0

Share this post


Link to post

Sei sim.

 

Isso a que você se refere diz respeito ao tipo de Cache (Virtual Cache) que não é mais aceito no geocaching.

 

Me refiro ao fato de estar em um local comercial, que você tem que pagar para ter acesso.

0

Share this post


Link to post

Sei sim.

 

Isso a que você se refere diz respeito ao tipo de Cache (Virtual Cache) que não é mais aceito no geocaching.

 

Me refiro ao fato de estar em um local comercial, que você tem que pagar para ter acesso.

 

Ainda bem que conhece as regras do geocaching, por este comentário não parece...

 

Pagar para ter acesso não é um problema ou limitação, até que no Brasil existem muitos! Quase todos os Parques da Serra da Cantareira são pagos e isso não impede a colocação de caches nesses locais, aliás existem vários!

 

Toninho, o que está a tentar demonstrar, que o cache do Ibirapuera TB Hotel foi arquivado incorrectamente? Nem sequer fui eu que o arquivei, foram os revisores! Se tiver alguma queixa sobre esse arquivamento deve tentar esclarecer com eles, e não comigo.

0

Share this post


Link to post

Pagar R$ 5,00 para entrar em um Parque Estadual é bem diferente de pagar U$ 100 em um parque temático.

 

Alguém poderia colocar um cache no Hopi Hari, por exemplo?

 

Só estou querendo dizer que podem existir exceções, que as regras não precisam ser tão rígidas. Afinal, é só um jogo, um hobby, apenas isso...

0

Share this post


Link to post

Pagar R$ 5,00 para entrar em um Parque Estadual é bem diferente de pagar U$ 100 em um parque temático.

 

Alguém poderia colocar um cache no Hopi Hari, por exemplo?

 

Só estou querendo dizer que podem existir exceções, que as regras não precisam ser tão rígidas. Afinal, é só um jogo, um hobby, apenas isso...

 

Não sei se poderia ou não, não sou revisor... teria que perguntar a um deles.

 

No entanto, com o passar do tempo as regras do geocaching têm se tornado cada vez mais rígidas por problemas legais. Nos EUA já existiram graves problemas por causa de um cache em que foi feita uma denuncia e pensavam que era uma bomba, tiveram que evacuar uma quadra inteira e tudo por causa de um jogo, um hobby como diz...

 

Voltando ao que disse antes de fazer regras por país segundo a cultura... sim, possivelmente seria o melhor para o jogo mas de momento não vejo sequer essa possibilidade, basta dizer que os revisores são Portugueses. E então porque não ter revisores Brasileiros, pode perguntar?

 

Na minha opinião não o faria porque acho que ninguém neste país tem os conhecimentos suficientes sobre geocaching (o que não que dizer que de futuro não tenham) e os geocachers mais antigos, que podiam fazer esforços para respeitar as regras e mostrar à Groundspeak que sabem respeitar as regras do jogo, tentam ir contra as regras impostas porque acham que o jogo fica melhor assim.

 

Toninho, apesar do que a grande maioria pode estar a pensar neste momento, eu não tenho nada contra nenhum geocacher específico, tenho algo sim, contra o incumprimento das regras do geocaching porque, como expliquei antes, de momento este jogo é gerido por uma entidade que está nos EUA e é graças a eles que o jogo existe nos moldes que está. Só temos que lhes agradecer e acreditar que as normas que eles definem são para melhorar o jogo e não para fazer com que ele piore.

 

Se alguém considera que um cache meu não cumpre as normas, por favor alerte esse facto para um revisor e será ele que fará o que achar mais indicado dependendo da situação. É só isso que eu faço, alertar os revisores para situações que considero não cumprirem as normas do jogo. Eu tento proteger as regras do jogo e não tentar adaptá-las ao que mais que convém no momento.

 

Os revisores estão cá para isso mesmo, avaliar cada cache e servir de responsáveis (ou olhos) da Groundspeak em cada país. Se os geocachers de um determinado país tentam fugir um pouco às regras do jogo, apenas estão a desrespeitar os criadores do jogo. Essa é a minha opinião.

 

Seguirei tentando aprender mais sobre este jogo e tentar fazer com que as suas regras sejam respeitadas. Com isto, acreditando que quem escreveu as mesmas regras quer o melhor para o jogo, tentarei que o geocaching cresça no local onde eu pratico, neste caso é maioritariamente em São Paulo.

 

Lamento que não tenham a mesma opinião do que eu mas não será por esse o motivo que irei deixar de apertar a mão a nenhum geocacher (como já me fizeram, ignorando-me e virando as costas) ou danificarei nenhum cache de outro jogador (como também já fizeram em caches meus). Cada um vive com a sua consciência, a minha está tranquila!

0

Share this post


Link to post

Acho que podemos ajudar a melhorar o jogo simplesmente incentivando novos participantes a conhecer o jogo e pratica-lo.

 

Também não tenho nada contra ninguém, aliás, acho que uma das melhores coisas que esse jogo permite é fazer novos amigos.

 

Isso é que realmente importa.

 

Só acho que o jogo não precisa de um Cache Cop. É só a minha humilde opinião...

0

Share this post


Link to post

Só acho que o jogo não precisa de um Cache Cop. É só a minha humilde opinião...

 

Perfeito, chegámos a um consenso!

 

Farei todos os possíveis para que você possa ter a sua opinião, apenas agradecia que me permitissem que eu também tenha a minha, ainda que seja diferente da maioria dos jogadores aqui no Brasil. B)

 

Eu tento jogar sem quebrar as normas do jogo, repito, tento... outros tentam ser tolerantes e aceitar "pequenos" ou "grandes" incumprimentos (não fui eu que defini as regras para saber o que é um "pequeno" ou "grande" incumprimento). Essa tolerância tem este problema, quem define quando é "pequeno" ou "grande" o incumprimento?

0

Share this post


Link to post

Está claro que não concordamos em algumas coisas, o que é normal.

 

Você tem a sua opinião e eu a respeito, só não concordo com algumas coisas...

 

Mas, isso nós já sabemos...

0

Share this post


Link to post

Boa tarde a tod@s!

 

Recebi um email da Groundspeak a informa-me que alguns jogadores brasileiros se sentiram ofendidos com este comentário que fiz:

 

PS: A "postura" dos colonizadores portugueses influenciou a cultura brasileira, um pouco de história: "os primeiros povoadores do Brasil (Portugueses) eram na maioria condenados pela justiça e por isso eram obrigados a trabalhar nas galés, à prisão perpétua ou à morte e tinham suas penas substituídas pelo degredo."

 

Lamento o mal entendido mas na realidade a minha intenção não era dizer algo pejorativo sobre o povo brasileiro mas sim sobre o Português. O que tentei dizer foi que historicamente o povo Português portou-se bastante mal com a sua ex-colónia, e em vez de enviar para o Brasil as pessoas que podiam formar um bom país, com o intuito de colonizar rapidamente, porque os Espanhóis e os Holandeses estavam sempre atentos, enviavam os "maus" portugueses, o que para mim é uma forma horrível de colonizar qualquer parte do mundo.

 

Eu estava sim a responder a este comentário:

 

Na minha opinião, só sendo muito introvertido ou narcisista, não se percebe isto... e por outro lado, provavelmente nunca pensou no quanto essa sua postura, acaba por refletir-se em outras pessoas com percurso de algum modo idêntico ao seu?!

 

Isto porque este Sr. está a insinuar que estou a dar uma má imagem dos geocachers Portugueses que vêm para o Brasil, por isso respondi dizendo que esse tipo de "problemas" já vêm do passado.

 

Se alguém pudesse ficar ofendido com estas palavras deveria ser ele ou algum outro Português que veio fazer Geocaching no Brasil não os Geocachers Brasileiros. Porque quando aos conteúdos do meu comentário, lamentavelmente, são verdadeiros e históricos... :(

Edited by JPreto
0

Share this post


Link to post

 

Pensava que neste forum se escrevia em Portugues, talvez passe também a escrever em Ingles aqui no forum! :D

 

E eu, se me mudasse para outro país, procuraria no mínimo usar sua língua em meus logs, mesmo que usando o inglês junto, já que não estou só de passagem...

 

 

Quase 20 caches, todos na mesma região, é para ti um exemplo?

 

Se observarmos estatísticas, e tivermos no máximo 2 caches de um mesmo proprietário nesse grupo, pode-se ver uma tendência... Isso mostra que o que possa acontecer por aqui, acontece no país sede do jogo, e muito provavelmente em tua terra natal também.

 

 

E já agora, se os outros fazem mal tu também vais fazer, é isso?

 

Era bom que as pessoas olhassem para os bons exemplos do geocaching em vez de tentarem copiar os maus, justificando as suas acções com os possíveis erros dos outros... :(

 

Se alguém vai fazer ou deixar de fazer, o problema transcende a você. Isso é com cada cacher e a estrutura de controle do jogo. Sabe a melhor forma de ensinar? Não é bater no peito e dizer eu sou o bom, e vocês não sabem nada. Dê o exemplo, fazendo caches excepcionalmente bons, escritos em bom português junto com o inglês. Deixe os outros cachers com vontade de fazer algo tão bom quanto você faz. Quem é bom de verdade não precisa falar, os outros percebem, e buscam aprender com ele.

 

O problema do Brasil não foram os degredados que pra cá vieram no começo (como também não foi na Austrália). Foram os colonialistas com a cultura do viver de rendas ao invés de por a mão na massa e realmente trabalhar. Felizmente vieram também portugueses trabalhadores, além de muitos outros imigrantes de outras nações da Europa e do mundo todo, o que tem ajudado a minorar o estrago. Mas isso já é outra história.

 

Talvez se você evitasse esse comportamento colonialista e ar de superioridade que transpira em todos teus escritos, conseguisse atingir teu objetivo de elevar o nivel do geocaching não só no Brasil mas no mundo, e ainda acabaria fazendo preciosas amizades... Creio que não seja tarde demais para um recomeço!

 

Everton

 

PS: e minha parte, acabam por aqui réplicas, tréplicas, ou o que quer que seja.

0

Share this post


Link to post

Acredito que tenha percebido que para brasileiros, seu portugues está bem mal escrito, pois por vezes tem ofendido a nós brasileiros, a glória é que a maioria tem ignorado suas ofensas e críticas desnecessárias. É o que faço.

 

Hoje, nem leio mais seus logs, pois não vou ficar procurando tradutor automático para saber o que você achou do local ou qual sua experiência.

Se você escreve em outra língua para um brasileiro, sabendo que não é uma língua popular entre os nativos, é porque não quer que os nativos entendam. Assim, permanecerei não entendendo.

 

Há um ditado que diz 'quem bate esquece, quem apanha não ', depois de ofender a nós brasileiros dizendo que somos descendentes de pessoas de má índole, e, como você expressou, continuamos com a mesma má índole destes ancestrais.

 

Como já foi dito, ninguém conquista seguidores com críticas às pessoas ou a outras. Mas se conquista pelos bom exemplos e palavras amistosas.

0

Share this post


Link to post

Bom dia,

 

Até onde sei, o Rui de Almeida é um dos moderadores, assim tendo como obrigação fiscalizar e orientar os owners.

 

Mas alguém me que não tem esta função e quer a qualquer modo exerce-lá, está usurpando-a.

 

É interessante a observância de um dito popular : muitos problemas da comunicação não está no que se diz, mas como se diz.

 

Mesmo através da leitura percebe-se quando uma pessoa é amável ou arrogante, quando quer auxiliar ou simplesmente criticar. Quando quer impor seu pensamento, ou compartilhar seu ponto de vista.

 

Em meu meio profissional há um dito interessante : você quer ter razão ou quer ser feliz?

 

Muitas vezes, por mais razão que nosso pensar aparenta, por mais definida que seja uma regra, por mais que ache que eu esteja correto diante de normas, defender isto a todo custo, pagando um alto preço por esta defesa, chegando a perder amigos, não é ser feliz.

Ser feliz é ter amigos, ter pessoas que nos admirem pelo que Somos e pelo que fazemos, é ter seguidores e influenciar pelo exemplo e não por imposição de palavras. Afinal, palavras são levadas pelo vento, exemplos ficam pela eternidade.

 

Concluindo, sábio é aquele que planta amigos por onde passa.

0

Share this post


Link to post

Até onde sei, o Rui de Almeida é um dos moderadores, assim tendo como obrigação fiscalizar e orientar os owners.

Moderador de Forum é diferente de ser Revisor... e eu aliás, como disse anteriormente, não tenho nada contra os jogadores serem cache cops, aliás acho que é uma forma de ajudarem os revisores a fazer o seu trabalho. De todas as formas nem um cache cop (nem um moderador de forum) podem desabilitar nem arquivar nenhum cache, apenas um revisor ou um lackey podem efectuar esse papel.

 

Ser feliz é ter amigos, ter pessoas que nos admirem pelo que Somos e pelo que fazemos, é ter seguidores e influenciar pelo exemplo e não por imposição de palavras. Afinal, palavras são levadas pelo vento, exemplos ficam pela eternidade.

 

Concluindo, sábio é aquele que planta amigos por onde passa.

Você, e aparentemente outras pessoas, pensam assim mas eu prefiro qualidade a quantidade já que agradar a gregos e a troianos tem os seus problemas. Em portugal diz-se: "poucos, mas bons!".

 

Mas cada um é livre de escolher a forma de como quer viver. E assim como no mundo empresarial há empresas que têm muitos clientes de todo o tipo, outras que têm poucos mas bons. Eu, até no mundo empresarial, sempre optei por ter poucos clientes mas dar-lhes a atenção que acho que merecem.

0

Share this post


Link to post

E qual a maior qualidade que uma pessoa pode ter do que saber firmar amizades?

 

Saber agradar a gregos e troianos e ter habilidade que consegue superar obstáculos.

 

É certo que nunca conseguiremos ser amigos de todos, ou evitar magoar alguém. Mas magoar sempre é algo que demonstra falha em nosso ser.

 

Uma pessoa que sabe firmar amizades em ambientes diferentes, etnias diferentes e cultura diferentes é uma pessoa cujas qualidades estão acima de outras.

Afinal, saber firmar amizades por ode se passa é exercer o amor para com todos.

 

A verdadeira amizade não deve ter por alicerces o interesse pessoal, ou apenas relacionamento ocasionais e comercial.

 

Empresas, sejam grandes ou pequenas, tem relacionamentos que se baseiam em interesse mútuos, comerciais e financeiros. Se não houver retorno financeiro. Lucro, o relacionamento será cortado e outro será firmado.

Não há amizade, há acordos . E este tipo de relacionamento não é exemplo de qualidade para o ser humano.

 

Relacionamentos firmados em interesses pessoais não são, nem de perto, exemplo de amizade. Naquele, a proximidade só existe enquanto houver algo a se tirar do parceiro, Neste, independente do que o parceiro tenha ou deixe de ter haverá amizade.

 

Muitos empresários, aliás, tem poucos clientes não por interesse em manter um grupo seleto para se poder atender melhor, mas simplesmente porque ainda não expandiram seus negócios para alcançarem uma clientela mais vasta.

 

Há muitos comércios, de pequeno e grande porte que vêem a aparência do cliente, e desta imagem tiram a qualidade com que o atenderão. Desprezamos os mais simples, dispensando grande tempo aos mais elegantes.

 

Nesta optica se aproveitam os delinquentes trapaceiros. Se mostram como clientes potenciais e por fim são vigaristas.

 

Seguir o exemplo de empresas para relacionamento pessoais é pobresa de espírito.

 

Pessoas, verdadeiramente grandes, sabem como usar dos recursos para firmar amizades. E principalmente sabem conserva-las.

 

Verdadeiros amigos sabem o momento certo de criticar e corrigir, e quando o fazem, medem as palavras para não magoar seu amigo.

 

Se o intuito do geocaching não fosse fazer amizades, não teria este fórum, nem eventos, nem encontros.

 

Se o intuito fosse apenas jogar, nem o nome dos owners seriam divulgados, pois os geocachers não teriam o porque saber quem escondeu aquele cache naquela localidade. Afinal, o que importa é apenas pontos.

E ainda, não necessitaria de moderadores, nem revisores, nem outras funções para se manter uma atividade organizada e salubre as pessoas e ao meio ambiente.

 

Ainda, para ser um membro da equipe tem de ser indicado por um dos que já fazem parte da equipe, e esta indicação, pode ter certeza, será feita devido a amizade formada entre ambos, e não por se mostrar um crítico legalista.

0

Share this post


Link to post

Seguir o exemplo de empresas para relacionamento pessoais é pobresa de espírito.

 

Mas no seu post anterior diz:

 

Em meu meio profissional há um dito interessante : você quer ter razão ou quer ser feliz?

A partir do qual desenvolve o seu argumento. Eu apenas segui a sua linha de pensamento...

0

Share this post


Link to post

Tentando fazer-me parecer contrário à mim mesmo? Parece que sim.

 

Mas deixa eu explicar, afinal, parece que não entendes que as duas colocações não são discordantes, mas sim que estão sendo usadas em contextos diferentes.

Na primeira citação, a qual vc citou por último, exibo um pensamento de pessoas com quem trabalho, não pensamento da empresa, na qual trata sobre a pessoa que quer sempre estar certa, e com isto, acaba perdendo a felicidade. Se envolve em discussões desnecessárias, perdendo amizades e em vez de solucionar problemas, acaba aumentando os atuais e gerando novos devido a querer ser o dono da razão.

 

Em minha segunda citação, a qual você faz a primeira referência, trata de uma réplica a sua comparação ao número de amigos que você firma, pois como se lê no contexto de suas palavras, é melhor ter poucos amigos assim como algumas empresas tem poucos clientes. E como você defendeu, ter poucos clientes dá a oportunidade de dar uma bom atendimento.

À isto, fato de ter poucos amigos /clientes que contestei, que em relações comerciais e afetivas não podem ter o mesmo princípio.

0

Share this post


Link to post

À isto, fato de ter poucos amigos /clientes que contestei, que em relações comerciais e afetivas não podem ter o mesmo princípio.

Não foi isso que percebi, mas nem por isso fiquei chateado, irritado ou nervoso com a sua possível contradição.

 

Por vezes existem mesmo formas diferentes de pensar sobre as mesmas palavras, por isso os foruns são úteis, precisamente para expor diferentes opiniões sobre os mesmo temas e demonstrar como cada um interpreta as mesmas palavras.

 

Mas olhe, se quiser discutir filosofia, algo que também gosto, porque não fazemos pessoalmente ou mesmo por email?

 

Neste tópico apenas queria deixar claro que cada jogador pode, e na minha opinião deve, ser um cache cop. Outras pessoas têm opiniões diferentes e não tenho nenhum problema com isso, é saudável saber partilhar opiniões.

 

No entanto, nem o cache cop, nem os outros, nem mesmo os moderadores do forum, têm capacidade ou autoridade para desabilitar um cache, ou arquivar um cache, apenas os revisores e os lackeys e a ultima palavra cabe sempre a eles.

 

Cache cop ou não é irrelevante, tudo está nas mãos do dono do cache, dos revisores e da Groundspeak. Apenas eles podem tomar decisões sobre um determinado cache.

0

Share this post


Link to post

Cache cop ou não é irrelevante, tudo está nas mãos do dono do cache, dos revisores e da Groundspeak. Apenas eles podem tomar decisões sobre um determinado cache.

Só uma questão que ficou na minha cabeça: Se ser Cache cop é irrelevante, qual a finalidade disso????? :blink:

 

Se é apenas para ajudar os revisores, então basta jogar o jogo. Registrar DNF quando não encontrar, NM quando encontrar e verificar que há alguma coisa errada com ou cache ou escrever uma Nota quando for necessário. Acho que NA fica à cargo do revisor.

 

Fora isso, não consigo entender o que leva uma pessoa a ficar procurando pelo em ovo, ao invés de ir procurar caches e se divertir.

 

Essa é a minha humilde opinião... :huh:

0

Share this post


Link to post

Cache cop ou não é irrelevante, tudo está nas mãos do dono do cache, dos revisores e da Groundspeak. Apenas eles podem tomar decisões sobre um determinado cache.

Só uma questão que ficou na minha cabeça: Se ser Cache cop é irrelevante, qual a finalidade disso????? :blink:

 

Se é apenas para ajudar os revisores, então basta jogar o jogo. Registrar DNF quando não encontrar, NM quando encontrar e verificar que há alguma coisa errada com ou cache ou escrever uma Nota quando for necessário. Acho que NA fica à cargo do revisor.

 

Fora isso, não consigo entender o que leva uma pessoa a ficar procurando pelo em ovo, ao invés de ir procurar caches e se divertir.

Exactamente isso, ajudar os revisores no seu trabalho quando alguns jogadores tentam contornar as regras do jogo, exactamente o que aconteceu no cache que referi neste tópico, sobre este cache. Eu nem sequer coloquei nada, apenas enviei um emails aos revisores a dizer o que tinha visto, foram eles que tomaram as decisões, não eu!

 

Já agora, o NA é para ser utilizado pelos jogadores, os revisores não utilizam esse registo, ou fazem um "disable" ou um "arquive" directamente. NA (Needs Archive) é mesmo para os jogadores utilizarem quando acham que devem, mais uma vez, cabe aos revisores e ao dono do cache, aceitar ou não a sugestão.

 

Veja-se o exemplo deste cache: Praça Barão de Tiete

 

Fui 4 vezes ao cache e nunca consegui procurar por causa de uns sem-abrigo que se encontram acampados na praça. Coloquei 4 DNFs e após ter falado com o dono do cache por email, que ele prontamente respondeu dizendo que não considerava que o cache devesse ser arquivado, tendo uma opinião contrária à dele coloquei um NA. O dono apagou o NA, eu coloquei uma nota explicando o que se passou e ao mesmo tempo pedi à Groundspeak para recuperar o meu NA e a Groundspeak achou que realmente ele deveria ser recuperado e fez um "undelete".

 

Isto foi em 16 de Fevereiro de 2014, já passaram mais de 3 meses e o cache continua activo, possivelmente até no lugar correcto, mas ainda ontém, tu mesmo foste ao local e achaste o mesmo do que eu. Em vez do DNF colocaste uma nota, mas realmente é o mesmo: "tentaste procurar o cache e não o encontraste". Eu fiz o mesmo que tu 4 vezes antes de colocar o meu NA.

 

Isso, aos olhos de muitos é ser cache cop, para mim é apenas jogar o jogo segundo as regras, nada mais.

 

Outro bom exemplo de uma atitude correcta por parte de um dono: Copa 2014 Timão

 

Neste caso o cache foi encontrado por uma jogadora que no registo de ENCONTREI escreveu que achou a zona perigosa e imediatamente os donos desabilitaram o cache, avisando as pessoas que realmente a zona podia ser perigosa. Passado algum tempo, e depois de aprovado pelo revisor, voltaram a colocar o cache a mais de 1km de distância. Para mim, uma atitude muito correta por parte dos donos do cache.

 

De todas formas, para mim, ser um cache cop não é mais do que alertar os revisores para quando se visita um cache que, na opinião do cache cop, pode ir contra as regras do jogo, nada mais. Na realidade o cache cop avisa os revisores que esse cache pode ter um problema mas cabe sempre ao revisor aceitar ou não a sugestão/opinião do cache cop.

 

Como disse antes, todos os jogadores deveriam ser cache cops, fazendo com que as regras do jogo fossem respeitadas e alertando os revisores (que ainda por cima nem sequer estão no Brasil) de situações que apenas localmente podem ser verificadas. Deveria ser o papel de todos os jogadores que se preocupam com o jogo.

 

Da mesma forma que comentas que se não encontras um cache deves logar um DNF há jogadores que ficam chateados que seja colocado um DNF nos seus caches (isso foi-me dito pessoalmete pelos mesmos), outros que dizem que apenas à 3a visita é que colocam um DNF e ainda outros que raramente logam DNFs porque acham que "afasta outros jogadores de procurarem esse cache".

 

As opiniões divergem mas não são discutidas e faladas abertamente, antes cada um fica na sua e quando alguém tenta explicar as regras ou fazê-las cumprir alertando os revisores é acusado de "perturbar o equilibro do geocaching no Brasil".

Edited by JPreto
0

Share this post


Link to post

Hoje vi um video que achei curioso, bem relacionado com o meu primeiro post.

 

O video não foi feito por mim, nem por Portugueses mas sim por Brasileiros, alguns deles até com alguma relevância na sociedade.

 

Vão ao Youtube e procurem por: "O complexo de vira-latas - Documentário" é um video de quase 25 min.

 

Nunca tinha ouvido, nem lido nada sobre este tema... mais uma coisa que aprendi sobre o Brasil que não sabia.

0

Share this post


Link to post

Please sign in to comment

You will be able to leave a comment after signing in



Sign In Now
Sign in to follow this  
Followers 3